terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Inocência Perdida.


Um pequeno trecho do meu livro Inocência Perdida. 
Vamos ler, curtir e comentar?
Priscila Marcia Mariano
Gente!
Mais um trecho de meu livro Inocência Perdida disponível para uma rápida leitura.
Desfrutem e não esqueçam que meu livro está a venda no site:http://www.livrariadragoeditorial.com/…/a-saga-de-um-pinto…/
Trecho:
O solar estava cheio de vida e a chegada dos meninos acompanhado por Dulcinéia, completou a felicidade daqueles avós. Daniel correu ao encontro dos meninos, sendo seguidos por Rudy e Antônio. Houve um encontro festivo entre as crianças e a bagunça só parou quando finalmente a noite chegou e Fabio Orlando de Albuquerque os colocou para dentro, sem oportunidade de eles dizerem não. Naquele instante, Felipe se esqueceu de tudo o que fora obrigado a fazer e do que lhe haviam feito, ainda naquela
noite. Resolvera deixar os seus problemas para trás, em São Paulo, inclusive as lembranças que tinha do pai.
Naquela noite dormiram todos, amontoados no mesmo quarto, conversando, procurando pôr as novidades em dia.
Felipe traduzia as palavras do irmão, satisfeito, enquanto mirava com o canto dos olhos a Daniel, sabendo que assim que estivessem sós, o amigo o encheria de perguntas. Mas, com certeza, não seria naquela noite. Lá pelas duas da manhã, eles sossegaram e acabaram por adormecer.
Assim que o sol despontou no horizonte, fazendo com que a noite fugisse da luz, Felipe ergueu-se e começou a andar pelo casarão vazio. Todos ainda dormiam até mesmo os empregados. Cobriu-se com uma manta e ficou na varanda, encolhido numa cadeira de vime, olhando para além das árvores,para o céu avermelhado, fazendo-o sentir um vento frio, mas gostoso.
“Eu era feliz.” pensou, mantendo suas lembranças em São Marcos, nos padres e nos amigos. “Como eu era feliz!”